quinta-feira, setembro 14, 2006

ó moce, tu tem-te quete!

davidkphotography


é que tás só e...nem sabes.


Poema do Homem Só


Sós,

irremediavelmente sós,

como um astro perdido que arrefece.

Todos passam por nós

e ninguém nos conhece.



Os que passam e os que ficam.

Todos se desconhecem.

Os astros nada explicam:

Arrefecem



Nesta envolvente solidão compacta,

quer se grite ou não se grite,

nenhum dar-se de outro se refracta,

nenhum ser nós se transmite.



Quem sente o meu sentimento

sou eu só, e mais ninguém.

Quem sofre o meu sofrimento

sou eu só, e mais ninguém.

Quem estremece este meu estremecimento

sou eu só, e mais ninguém.



Dão-se os lábios, dão-se os braços

dão-se os olhos, dão-se os dedos,

bocetas de mil segredos

dão-se em pasmados compassos;

dão-se as noites, e dão-se os dias,

dão-se aflitivas esmolas,

abrem-se e dão-se as corolas

breves das carnes macias;

dão-se os nervos, dá-se a vida,

dá-se o sangue gota a gota,

como uma braçada rota

dá-se tudo e nada fica.



Mas este íntimo secreto

que há no silêncio concreto,

este oferecer-se de dentro

num esgotamento completo,

este ser-se sem disfarce,

virgem de mal e de bem,

este dar-se, este entregar-se,

descobrir-se, e desflorar-se,

é nosso de mais ninguém.



António Gedeão.



(desculpem possíveis erros por citado de memória)

11 Comments:

Blogger madalena pestana disse...

à laia de PS:

EUBULUS* (355-346 a.C)
"As dez taças de vinho"
"Eu preparo três taças para o moderado: uma para a saúde, que ele sorverá primeiro, a segunda para o amor e o prazer e a terceira para o sono. Quando essa taça acabou, os convidados sábios vão para casa. A quarta é a menos demorada, mas é a da
violencia. A quinta é a do tumulto, a sexta da orgia, a sétima a do olho roxo, a oitava é a do policial, a nona a da ranzinzice e a décima a da loucura e da quebradeira."
(*Administrador de Atenas)

12:11 da tarde  
Blogger PiresF disse...

Grande Gedeão!

Quanto ao Eubulus, o que ele queria, era mesmo taça atrás de taça.

Estou de volta, a meio gás, mas já por cá ando.

Grande abraço.

5:49 da tarde  
Blogger madalena pestana disse...

OLá PiresF, já nos encontrámos por aí numa das covas onde me escondo de dia. :D

Um Abraço e benvindo!

------------------

AS taças têm já dono lolol. O seu a seu dono...

lolol

6:55 da tarde  
Blogger Freyja disse...

paso a dejarte un abrazo muy grande, hoy volvi a casa


besos y sueños

11:07 da tarde  
Blogger adesenhar disse...

"ó moce, tu tem-te quete!"

eheheh

e de repente dás sinal de vida.

estás nestas paragens outra vez!

já resolveste o problema das patadas!
espero que esteja tudo bem contigo.

:-)

bjs

11:28 da tarde  
Blogger madalena pestana disse...

cemigue tá tude ben, adesenhar, com quem me chatear vames a vér. lolol

Bejes

:D

11:56 da tarde  
Blogger madalena pestana disse...

Freyja, caríssima! Fico muito contente por te saber de volta.

Que tudo fique enfim bem contigo.

Besitos.

:D

12:02 da manhã  
Blogger Daniel Aladiah disse...

Caro Scorpius
Bom recordar Gedeão...
Um abraço
Daniel

8:40 da manhã  
Blogger madalena pestana disse...

Obrigada, Daniel.

É bom recordar. Pena as razões nem sempre o serem, mas a vida tem destas coisas...

Abraço.

Bom dia. :)

8:53 da manhã  
Blogger della-porther disse...

D.

o poema é muito interessante...mas, o final é mesmo surpreendentemente lindo.

adorei seu retorno

beijos com afeto e com açucar

della

1:53 da manhã  
Blogger al-jib disse...

fica.nos o sonho quando tudo o mais se foi e vai

um abraço ( e chega para lá o ferrado ) pelo regresso

4:35 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home