domingo, julho 02, 2006

Esmeralda, encontrou-a

junto à porta de casa. Caída, o filho sobre o ventre. Delirava.

Se ele pudesse entrar naquele delírio de criança, filha de pais católicos, daqueles que se dizem até romanos, como se o credo não tivesse mudado. Ah, as religiões incutidas de berço sem direito a escolher...

Tinha medo do inferno. A pureza perdida, o filho de ninguém. Honrarás pai e mãe.



J J André

- Não mãe! Pai pai, ajuda-me!

-Traz um pano com água gelada, Catarina , e depois uma sopa bem quentinha. Ou muito me engano ou esta desgraçada há dias que não come.

Não foi logo para a vida. Trabalhou em balcões, a dias, fez um pouco de tudo, até que o filho precisou de um colégio. Aí o dinheiro não bastava e ela queria-o educado como fora, bem.


Katia Chausheva

Depressa aprendeu poses e truques. Os homens são tão fáceis de iludir. Querem ser enganados e pagam bem por isso.

- Não gosto de te ver estragar a vida assim filha, tu mereces melhor. Deixa o menino com o primeiro ciclo e quando trabalhar que estude então. Quem não pode não carrega. É a vida...

- Estragar a vida? Estragaram-na um dia, o dia em que eu amei. Esmeralda, também tu merecias melhor, muito melhor.

- Não te deixes cair de beicinho por nenhum por mais que te digam que te adoram. Promete-me isso.

- Não é preciso prometer. Eu já não sou capaz.



(seguimos? vamos ver...)

10 Comments:

Blogger della-porther disse...

D.

Lindo!!!!!!
Lindo demais...
A imagem das mulheres...perfeita
A história...gosto como contas...me sinto ali, compartilhando.

beijos e uma excelente semana

10:39 da tarde  
Blogger Freyja disse...

No era pronto para la vida…
La historia es triste, los hijos del pecado como llamaran muchos, y son los hijos del amor que quedo amando solo
Esta muy hermoso aquí
La musica que tienes de fondo es maravillosa, como se llama y quien la canta, me gusta mucho
Te dejo mi abrazo y una bella semana
Besos y mil sonrisas


Besos y sueños

10:51 da tarde  
Blogger Era uma vez um Girassol disse...

Imagens fabulosas...
Da história, estou a ler com atenção e a acompanhar o percurso difícil de Rita.
Bjs

11:00 da tarde  
Blogger Laurindinha disse...

De faca e alguidar... :) "Não foi logo para a vida. (...) Aí o dinheiro não bastava e ela queria-o educado como fora, bem."??? :)

11:07 da tarde  
Blogger madalena pestana disse...

Touxeste o alguidar, Laurindinha? É que o sangue coagula rápido.
:)

11:12 da tarde  
Blogger Freyja disse...

gracias por decirme quien canta, la cancion es muy bella
pero no la encontre, me puedes decir donde la puedo ubicar?
gracias, un beso grande



besos y sueños

1:36 da manhã  
Blogger sugcrasis disse...

Extraordináriamente triste... real por vezes, mas transparente da vida que o é.
Uma excelente escolha.
1Abraço
Sugcrasis

1:58 da manhã  
Blogger rouxinol de Bernardim disse...

Um retalho da vida de uma mulher a noites. Belo, com uma crueza e um realismo que toca! Parabéns!

7:03 da manhã  
Blogger madalena pestana disse...

Ainda para a Laurindinha, quando há uma matança, para se aproveitar o sangue para os excelentes enchidos nacionais, não basta o bicho, a faca e o alguidar, é preciso uma colher de pau e vinagre para ir misturando e evitar o coágulo.

O resto da receita não dou. Deve vir nos livros de qualidade.

:)

11:06 da manhã  
Blogger Laurindinha disse...

Registado. :)

10:33 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home